Uma semana em Wildwoods, NJ

No começo de agosto, meio do verão americano, a minha host family me convidou pra ir pra Wildwoods, cidade litorânea de New Jersey, passar uma semana de férias com eles. É praticamente tradição, eles vão todo ano com os avós e uns amigos. São 7 horas de viagem de carro, passando por Connecticut e New York e, chegando lá, já dava para sentir o clima férias família é da cidade.

A paisagem? Incrível! E foi uma semana de muita praia! Ah, a praia americana se parece bastante com a brasileira, tava bem cheia e o mar é o mesmo, mas em geral é mais quieta (nem sorveteiro grita ou buzina) e não tem quiosques. A programação normalmente era praia/piscina de dia, jantar e algo diferente pra noite. Numa noite, fomos jogar mini golf e, pasmem, eu não sou tão ruim assim. Aliás, foi super divertido e eu recomendo pra todos.

Ah, relativo a comida, o melhor macarrão ao molho pesto que já comi na vida é de um restaurante de Wildwoods. Também fomos ao cinema e eu fiz todo mundo esperar por mim até o final do final pra ver o pós crédito do Spider-man: Homecoming. Outra noite, fomos na Boardwalk (uma espécie de calçadão à beira da praia), que também tem um parque de diversões e se as crianças se divertiram muito, imagina eu então, que fui numa montanha russa (meu brinquedo favorito) que era a mais longa que eu já fui – e muito maneira!

Dica se você quiser ir pra lá, leva dinheiro em espécie porque MUITOS lugares não vão aceitar cartão. Enfim, Wildwoods foi uma semana incrível dessa aventura americana que me deixou super queimada com uns bronzeados meio diferentes (e que eu ainda tenho, 2 meses depois), mas valeu muito a pena!

Beijos e até mais!

Continue Reading

4th of July

Esse post está extremamente atrasado, desculpa, mas finalmente vim compartilhar como foi o 4th of July, feriado da independência americana (e aniversário da minha mãe ♥). A tradição é a queima de fogos de artifício e o jantar em família. O jantar foi com hamburger, cachorro-quente, frutas nas cores da bandeira americana e assistindo ao concurso de comer cachorro-quente do Nathan’s (fast-food que realiza o concurso anualmente em NY).

Aqui em Lexington, um parque de diversões foi montado e assistimos os fogos de lá. Adoro as luzes bem fortes, brilhantes e coloridas, bem parque de filme americano mesmo e como eu nunca vi no Brasil antes. Acho engraçado como o barulho é uma grande diferença entre Brasil e Estados Unidos. Aqui, tudo sempre parece menos barulhento mesmo com a multidão.

Fui num brinquedo chamado Evolution (esse aqui), que foi muito divertido. Ele finge que vai dar a volta completa, mas não e o círculo com as cadeiras giram conforme o brinquedo pendula. Fui três vezes. E, na primeira, havia um menino do meu lado (uns 10 anos) que ficou o tempo todo conversando comigo tipo “por que você está gritando? Eu já vim nesse várias vezes, nem dá medo”.

Também fui em um tipo o wipeout (esse aqui), que você fica girando em círculos e subindo e descendo. Ah, e normalmente os brinquedos aqui desse tipo montanha-russa ou que você “corre em uma direção” (se isso fizer sentido), ele vai todo o caminho para a frente e depois faz a mesma coisa de costas. E, acredite em mim, de costas é ainda mais divertido.

Beijos e até mais!

Continue Reading

Harvard University

Você já deve ter ouvido falar dela, Harvard University, fundada em 1636 e uma das melhores faculdades do mundo hoje em dia. Ela fica em Cambridge, MA, e é tão perto e fácil de chegar lá que é provável que você só me encontre por lá de agora em diante.

Dei sorte que o primeiro dia que fui visitar estava rolando um tour pela faculdade, então tratei de entrar em um grupo e aproveitei pra conhecer melhor e ouvir histórias sobre a universidade. Depois, fui descobrir que o tour é pago e agendado, eu dei sorte mesmo.

Essa é uma biblioteca em memória de Harry Widener e foi construída com a doação de sua mãe, Eleanor Widener, única sobrevivente do Titanic. Harry era um colecionador de livros e graduado em Harvard. Após a tragédia, sua mãe doa a coleção de livros de seu filho à faculdade e fazer a biblioteca em sua memória com algumas condições: 1. o prédio não poderia ser modificado (ou seja, o exterior da biblioteca que você vê hoje é o mesmo de 1915), 2. todos os alunos deveriam passar num teste de natação para receberem o diploma (ela acreditava que se seu filho soubesse nadar, não teria morrido no Titanic, mas hoje essa condição não existe mais para abranger alunos com deficiência) e 3. deveria haver uma sala na biblioteca dedicada ao Harry e que somente o fantasma dele poderia entrar.

Sobre a primeira condição, relativa ao prédio, uma outra curiosidade. A foto abaixo é da área em frente à biblioteca e, como não era possível reformar e expandir a biblioteca, mas eles precisavam de mais espaço, construíram no subsolo. Então, embaixo dessa área externa, existe 4 andares de biblioteca.

Mais duas curiosidades relativas a essa estátua! A primeira é que dizem que tocar na parte dourada do sapato de John Harvard te traz sorte para estudar na faculdade e muita gente traz seus filhos, logo pequenos, para já garantir o futuro deles. Outra curiosidade é que a estátua foi criada pós um incêndio que destruiu a biblioteca e, com isso, apagou todos os registros do verdadeiro John Harvard. Ou seja, a estátua foi criada sem uma imagem real e, portanto, não se sabe se esse é John Harvard ou não.

Espero que tenham gostado do post, das fotos e das curiosidades.

Beijos e até mais!

Continue Reading

Hammond Castle Museum

Uma coisa que eu amo e tenho a oportunidade de fazer por aqui é pegar o carro e dirigir para uma cidade diferente, um lugar novo. O post de hoje é sobre um domingo assim, que eu dirigi cantando todas as músicas do meu Spotify com uma amiga no carro para irmos ao Hammond Castle.

O Hammond Castle é um castelo em Gloucester que, hoje, é um museu. Ele foi construído por John Hammond, um inventor, como um presente para sua esposa. Não é tão imenso assim por fora, mas por dentro tem várias daquelas escadas em espiral e estreitas que levam a porões ou sótãos, papéis de paredes intermináveis por dentro dos quartos e que escondem até a porta e muitos cômodos.

A  vista do castelo é estonteante, fiquei completamente apaixonada. Vale super a pena visitar só pra apreciar e dar aquela tranquilizada da rotina e do trabalho. Definitivamente é um passeio que eu indico, o valor para visitar o castelo é $10 (criança paga mais barato) e você aproveita pra dar aquela acalmada na cabeça.

Continue Reading