4th of July

Esse post está extremamente atrasado, desculpa, mas finalmente vim compartilhar como foi o 4th of July, feriado da independência americana (e aniversário da minha mãe ♥). A tradição é a queima de fogos de artifício e o jantar em família. O jantar foi com hamburger, cachorro-quente, frutas nas cores da bandeira americana e assistindo ao concurso de comer cachorro-quente do Nathan’s (fast-food que realiza o concurso anualmente em NY).

Aqui em Lexington, um parque de diversões foi montado e assistimos os fogos de lá. Adoro as luzes bem fortes, brilhantes e coloridas, bem parque de filme americano mesmo e como eu nunca vi no Brasil antes. Acho engraçado como o barulho é uma grande diferença entre Brasil e Estados Unidos. Aqui, tudo sempre parece menos barulhento mesmo com a multidão.

Fui num brinquedo chamado Evolution (esse aqui), que foi muito divertido. Ele finge que vai dar a volta completa, mas não e o círculo com as cadeiras giram conforme o brinquedo pendula. Fui três vezes. E, na primeira, havia um menino do meu lado (uns 10 anos) que ficou o tempo todo conversando comigo tipo “por que você está gritando? Eu já vim nesse várias vezes, nem dá medo”.

Também fui em um tipo o wipeout (esse aqui), que você fica girando em círculos e subindo e descendo. Ah, e normalmente os brinquedos aqui desse tipo montanha-russa ou que você “corre em uma direção” (se isso fizer sentido), ele vai todo o caminho para a frente e depois faz a mesma coisa de costas. E, acredite em mim, de costas é ainda mais divertido.

Beijos e até mais!

Continue Reading

Harvard University

Você já deve ter ouvido falar dela, Harvard University, fundada em 1636 e uma das melhores faculdades do mundo hoje em dia. Ela fica em Cambridge, MA, e é tão perto e fácil de chegar lá que é provável que você só me encontre por lá de agora em diante.

Dei sorte que o primeiro dia que fui visitar estava rolando um tour pela faculdade, então tratei de entrar em um grupo e aproveitei pra conhecer melhor e ouvir histórias sobre a universidade. Depois, fui descobrir que o tour é pago e agendado, eu dei sorte mesmo.

Essa é uma biblioteca em memória de Harry Widener e foi construída com a doação de sua mãe, Eleanor Widener, única sobrevivente do Titanic. Harry era um colecionador de livros e graduado em Harvard. Após a tragédia, sua mãe doa a coleção de livros de seu filho à faculdade e fazer a biblioteca em sua memória com algumas condições: 1. o prédio não poderia ser modificado (ou seja, o exterior da biblioteca que você vê hoje é o mesmo de 1915), 2. todos os alunos deveriam passar num teste de natação para receberem o diploma (ela acreditava que se seu filho soubesse nadar, não teria morrido no Titanic, mas hoje essa condição não existe mais para abranger alunos com deficiência) e 3. deveria haver uma sala na biblioteca dedicada ao Harry e que somente o fantasma dele poderia entrar.

Sobre a primeira condição, relativa ao prédio, uma outra curiosidade. A foto abaixo é da área em frente à biblioteca e, como não era possível reformar e expandir a biblioteca, mas eles precisavam de mais espaço, construíram no subsolo. Então, embaixo dessa área externa, existe 4 andares de biblioteca.

Mais duas curiosidades relativas a essa estátua! A primeira é que dizem que tocar na parte dourada do sapato de John Harvard te traz sorte para estudar na faculdade e muita gente traz seus filhos, logo pequenos, para já garantir o futuro deles. Outra curiosidade é que a estátua foi criada pós um incêndio que destruiu a biblioteca e, com isso, apagou todos os registros do verdadeiro John Harvard. Ou seja, a estátua foi criada sem uma imagem real e, portanto, não se sabe se esse é John Harvard ou não.

Espero que tenham gostado do post, das fotos e das curiosidades.

Beijos e até mais!

Continue Reading

Boston: Museum of Fine Arts

Programa de dia de chuva nos Estados Unidos é ir em museu. Normalmente, eu pego uma coberta e sento na frente da tv assistindo netflix e comendo brigadeiro, mas pelo visto isso não é hábito no mundo todo. Estava um dia nublado com uma chuva fraca que durou o dia inteiro e muito vento, mas a fila pra entrar no Museum of Fine Arts estava imensa. Também porque no dia era feriado e o museu estava com entrada gratuita, o que faz sentido, mas realmente descobri que esse é um costume aqui quando, recentemente, tivemos um dia de muita chuva e, por conta da chuva, a programação era ir no Museum of Science (vou contar num outro post) de transporte público. Era galocha, capa de chuva, guarda-chuva que virava do avesso, um vento forte, chuva forte e a gente lá, tentando chegar ao museu.

O MFA é imenso e super completo. Tem todos os tipos de arte, muita exposição interessante e dá para se perder ali no meio de tanta inspiração. Fui com duas amigas e passamos horas admiradas com pinturas de artistas que estudamos na escola. Obras de Monet e Van Gogh ali, ao nosso alcance.

Duvido você se arrepender de visitar o Museum of Fine Arts e a dica é ver os quando ele tem entrada gratuita, porque daí fica melhor ainda.

Beijos e até mais!

Continue Reading

Meu intercâmbio: Au Pair

 

Se essa não é sua primeira vez nesse blog, você já deve saber que eu estou nos Estados Unidos. Eu fiz um vídeo explicando sobre o básico do meu intercâmbio e esse post é de complemento para você entender certinho e, quem sabe, se motivar a viver essa experiência também.

Uma coisa que eu esqueci de mencionar no vídeo é que você também tem direito a duas semanas de férias remuneradas durante o seu ano de au pair 🙂

Ah, os sites das agências do meu intercâmbio são a Au Pair in America e a Experimento.

Finalizo o post com a lista acima, achada no pinterest, com 7 motivos para ser au pair e tudo bem explicadinho. Qualquer dúvida, deixa nos comentários 🙂

Beijos e até mais!

Continue Reading